19.1.13

Quando a vida te dá cebolas cortadas ao meio, em vez de chorares, faz uma salada e partilha-a com os teus amigos.

roterdão, dezembro 2012
Infelzimente não consigo ganhar a vida só a fazer aquilo que gosto. Por esse motivo tenho de ter um emprego fora da(s) minha(s) área(a). Durante muitos anos esse emprego, apesar de não ser o ideal, era extraordinário! O grupo de pessoas com que trabalhava e a mulher que nos chefiava faziam com que os dias fossem mais leves. Fiz amigas para a vida. Dei alguma coisa e recebi imenso. 90% dos dias, eram sete horas muito bem passadas. Seria impossível contar as gargalhadas que partilhámos. Conciliava-se o trabalho com a convivência. A camaradagem era excepcional e fazia com que tudo corresse muito bem. Aprendi muito. Especialmente sobre as pessoas. Acho que ajudou a tornar-me alguém melhor.
Infelizmente, em 2012 [esse ano de merda que já enterrei], com a reforma da mulher com m maiúsculo que era a minha chefe, houve mudanças drásticas. Para pior. Para muito pior. Para níveis absurdos. Passou de paraíso a inferno. No início foi muito difícil suportar a mudança, o desassossego e mesmo as ilegalidades. Foi uma revolta única. Com o tempo [quase um ano...] comecei a aceitar e a aprender a lidar com tudo isto. A vida não está fácil para arranjar empregos e enquanto não acabar mais um curso, que espero que me abra novas portas, terei de suportar isto. Eu já sabia que 2013 ia ser um bom ano, mas também sei que tenho de ajudar! Por esse motivo, achei que se partilhasse o meu inferno, o mesmo se tornaria mais fresco, eu o encararia melhor e daria a terceiros a oportunidade de rirem com a surrealidade em que estou submersa naquele sítio.
Nasce hoje aqui uma nova rubrica.
Crónicas de uma mal empregada. Sejam bem-vindos!

4 comentários:

Ana 100 Sentidos disse...

Acho que preciso de fazer o mesmo.

franksy! disse...

Really?!
Mas tu estás sempre a viajar... pensava que tinhas um emprego de sonho...

menina dos caracois disse...

Ai eu tambem..

tanto que uma tarde de domingo se torna angustiante, so de pensar na semana que se avizinha.

Força

franksy! disse...

:s

Bolas... eu já passei a fase da angustia! A fase de ter imensas dores de barriga desde que acordava...

Menina, aprende a lidar com isso! Arranja uma técnica!
Faz um rubrica no teu blog a gozar com a desgraça! :)