20.1.11

queremos um autocarro de Sonhos ao Amor!

Crónias do autocarro#53


Ora bolas! Uma vez que não há nada mais fácil de arruinar do que uma quimera, fui cobardemente informado de que Sonhos é, efectivamente, uma localidade de Ermesinde e, mais concretamente, da freguesia de Alfena (o horror!...). Preferia, conforme imaginarão, ter sido mantido na mais estrita ignorância, mas não posso agora fazer de conta que não estou a par da realidade. Talvez, um dia, ainda vá a Sonhos, o que, em todo o caso, é um pouco improvável, já que a minha assinatura mensal dos transportes públicos (o passe post-moderno) não permite deslocações aos subúrbios. Terei, pois, que continuar a beneficiar da quotidiana transumância dos subúrbios, exactamente como sucedeu com a mulher que, ainda ontem (terá sido ontem?), pedia explicações relativas à chamada que tinha recebido no telemóvel, cuja origem não estava identificada, mas que, pelos vistos, partira de um indivíduo que lhe devia finezas. Por várias vezes ela perguntou ao homem por que é que ele tinha ligado de um número não identificado e para quem é que ele tinha estado antes a ligar de um número não identificado. Por quem, afinal, é que ele não queria ser identificado?

(se, acaso, o leitor estiver incomodado com a repetição da palavra “identificado”, saiba que eu a escutei vezes sem conta em cerca de dez minutos, pois a mulher não dizia mais nada e insistia na pergunta, over and over and over)

Como as explicações do sujeito não a satisfaziam, a mulher, a dada altura, revelou o verdadeiro teor da sua inquietação e perguntou ao homem, com toda a frontalidade, se ele tinha estado a ligar “para a outra”. Eu não me surpreendi com o desabafo e creio que também nenhum dos outros passageiros se surpreendeu com o verdadeiro motivo do drama da chamada não identificada. Os grandes sobressaltos existenciais dos transportes públicos são, ainda, deste teor. Os desempregados viajam, regra geral, em silêncio, remoendo o medo e a angústia do dia seguinte.

Manuel Jorge Marmelo

o meu obrigada a Miss Lee!

2 comentários:

Miss Lee disse...

até fico corada, Xica!!! :)

franksy! the awesome wife disse...

Ficas corada porque és bué de fixe e me mostraste este texto bonito e tão intrinsecamente ligado à minha pessoa?!

realmente... é pra corar, é! ;)