29.7.11

perder-se-á

Quando por aqui passares, quero que te apercebas que um dia também já não te lembrarás do dia zero. Existiu, mas ficará tão perdido como este. Terás que ir a um sótão, a uma cave, a uma garagem, a um baú, a um caixote, para o encontrar. Ficará perdido no meio de todos os dias em que choraste pelo dia menos um. Ficará perdido no meio de tudo que usaste para contrariar a angústia. Ficará perdido nas pessoas que não queres voltar a ver nunca mais. Ficará perdido nas músicas que deixarás de ouvir. Ficará perdido no meio de todos os gestos que os teus amigos te dedicaram. Ficará perdido no meio de todas as palavras bonitas que encontraste. Ficará perdido nas tuas vitórias. Ficará perdido nos teus romances. Ficará perdido nos dias de sol, de mar, de água, de flores, de pop, de algodão que entretanto virão. Ficará perdido numa grande paixão. Ficará perdido no amor. Ficará perdido numa alegria emergente. Ficará perdido na tranquilidade que se dará finalmente à bomba que agora te parece quase desfeita de tanta mágoa. E nessa altura eu vou-te lembrar deste dia. Do dia quinze.

3 comentários:

couve-flor. disse...

princeZa, obrigada.

franksy! the awesome wife disse...

não quero agradecimentos. quero sorrisos livres. amo-te!

jorge disse...

Que bonito.