19.6.12

[...]

há mortes demasiado incompreensíveis e que provocam em nós uma revolta difícil de digerir... hoje mataram um amigo meu... é-me recorrente parar para confirmar se é realmente verdade... mas é... é indescritível o choque de uma morte assim... de um inocente, que foi vítima de um doente mental... e conhecendo-o, de certeza que tentou acalmar os ânimos, sem imaginar que acabaria morto... não é o meu melhor amigo. não é sequer dos meus amigos mais próximos. mas é meu amigo. conhecia-o há 15 anos. e isto pode parecer aquelas balelas que se dizem quando alguém morre, mas é a mais pura das realidades, nunca o vi com má cara. vi-o sempre com um sorriso que lhe era tão característico. conheci-o sempre humilde. sereno. animado. cheio de sonhos e projectos. sempre a viajar. sempre a caminho do mar. sempre a aproveitar a vida. sempre a animar-nos. com um coração cheio de bondade. e, os que são mais próximos do que eu lhe era, confirmam tudo isto e garantem muito mais. um ser humano exemplar. um amigo incansável vinte e quatro horas por dia. tive o prazer de ser sua amiga ao longo de todos estes anos e tive ainda o privilégio de nos últimos anos nos termos aproximado bastante para trabalharmos numa paixão que nos unia, a fotografia. 
é assustador perceber que um dia acordamos para morrer. mas é essa a usual realidade. as mortes são de uma forma geral horríveis, mas esta rebentou comigo...

2 comentários:

Joanissima disse...

: (

Acabei de ler no jornal... E, apesar de não o conhecer, fiquei chocada e imensamente comovida.
Lamento muito. Por ele, por ti, pela Mãe dele... : (

Um abraço.

franksy! a better person. disse...

é muito chocante...
e acredita que ele não merecia isto...

eu lamento só por ele, que tinha tanta vida e acabaram-lhe com ela, sem que ele tivesse culpa nenhuma...

obrigada pelo apoio joaníssima.